quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Para biógrafo, série mostra complexidade de Maysa de forma "rasteira"



Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/ult90u488969.shtml

Autor da biografia "Maysa - Só Numa Multidão de Amores" (editora Globo, 432 págs., R$ 32), base da minissérie global sobre a cantora, o jornalista Lira Neto se surpreendeu com o resultado. 
"O principal ponto é transformar os assombros e a complexidade de Maysa em algo tão rasteiro", comentou Neto sobre o que mais lhe incomoda em "Maysa - Quando Fala o Coração". A minissérie, que começou na última segunda-feira (5), termina na próxima sexta-feira (16). Dois outros biógrafos, que tiveram seus livros relançados, comentaram "Maysa" com a Folha Online.
"A angústia existencial dela é que não está sendo mostrada", disse o biógrafo, que não chegou a ver a minissérie antes da exibição pela TV Globo. O programa tem rendido bons índices de audiência. 
Apesar das críticas, Neto não é contrário à adaptação e exalta a interpretação de Larissa Maciel. "Ela está muito bem preparada, vê-se que ela fez um bom laboratório." 
"É muito bom que Maysa esteja sendo reconhecida. A minissérie coloca Maysa no lugar que lhe é de direito na cultura brasileira, mas há fatos que até deseducam o público", comentou o autor. 
Neto se referiu a questões históricas, como a aparição surpresa de André Matarazzo, ex-marido da cantora, com uma nova namorada na cerimônia de entrega de um prêmio. Matarazzo nunca foi ao ato e na época não estava envolvido com a mulher que aparece na série, segundo Neto. 
O biógrafo discorda do roteirista da série, Manoel Carlos, que inseriu elementos de ficção no trabalho. "A vida de Maysa por si só é tão espetacular que não necessitaria de nenhuma ficção. A história em si tende a ser simplificada para efeitos de adaptação, de roteiro, mas acho que passou um pouco da medida." 
Mas quando o assunto é o diretor Jayme Monjardim, filho de Maysa, o biógrafo demonstra apenas gratidão. "Eu sou eternamente grato ao Jayme pelo acesso irrestrito de arquivo. Sem a ajuda dele, meu livro não seria o mesmo", disse Neto.
Revirando no túmulo 
"Por exemplo, chega às raias do humor involuntário um Bôscoli com escrúpulos de fidelidade", afirmou Neto, que também disse ter sentido falta de Nara Leão, que na época era a namorada de Ronaldo Bôscoli. 
Sobre Bôscoli, que depois se casou com a cantora Elis Regina, Neto ainda diz: "Acho que o Ronaldo Bôscoli agora está se revirando no túmulo". 
"A segurança de Maysa nunca descambou para um certo deslumbre por seu próprio talento como às vezes aparece na minissérie", disse Neto, que exemplificou um trecho no qual a personagem pergunta: "Quem não conhece Maysa?". 
O autor também comentou uma cena na qual Maysa tentou cometer suicídio após ser repreendida por um escândalo. Uma revista de celebridades da época havia publicado fotos dela nadando nua em uma cachoeira. "A Maysa colecionava essas revistas. Ela ria delas. Ela nunca ia tentar se matar por uma coisa dessas."

Nenhum comentário: